Follow by Email

sábado, 30 de abril de 2011

Ele é o mais puro amor que eu poderia encontrar♫

Eu aprendi que quando se ama alguém de verdade, o importante não é manter esse amor, o que o torna real é apaixonar-se todos os dias por aquela mesma pessoa. Porque se você for tentar manter vai chegar uma hora em que não vai dá mais e ambas as partes podem sofrer. Aprendi também que não se pode forçar nada quando se trata do amor, e que não existe alguém certo para você amar. O que acontece é que quando você olha para certo alguém e seu coração fica inquieto e você sente sensações estranhas, esses podem ser alguns ‘sintomas’ do amor e só o tempo vai fazer se é amor ou se apenas trata-se de uma paixão passageira. Mas o tempo às vezes nem espera muito pra te revelar o que eu você sente, no dia seguinte ao conhecer uma pessoa você percebe e tem a plena certeza de que essa pessoa que você mal conhecer pode te fazer imensamente feliz. Sua cabeça começa logo a pensar que você conhece aquele certo alguém de outras vidas ou algo do tipo. Mas não é bem assim, o fato é que por ser evolvido por um sentimento tão forte e maravilhoso, você passa a conhecer o outro alguém sem mesmo ter falado ou tocado. Você passa a compreender o ser amado tão bem. E talvez você conheça aquela pessoa sim de muitos tempos, mas não de outras vidas, mas sim de dentro de você mesmo. Porque o seu amor pode estar onde for, mas o seu coração nunca vai parar de senti ele pertinho de você, e distância física é o que menos importa em tudo isso. Mas claro, é bom ter quem você ama ao seu lado, mas quando isso não é possível você acredita ser possível e deve continuar acreditando porque com o amor se pode tudo. De todas as lições que eu aprendi, nenhuma delas foi tão certa como a certeza de que o amor é inabalável e a palavra impossível não é nada diante do verdadeiro amor.


___________________________________________________________________

Duvida da luz dos astros,
De que o sol tenha calor,
Duvida até da verdade,
Mas confia em meu amor.

                                                                 William Shakespeare.


Nenhum comentário:

Postar um comentário